LINKS E PESQUISAS

Carregando...

sábado, 2 de maio de 2015

Organizações internacionais



Organizações internacionais: Conheça as principais instituições multilaterais


Organismos ou organizações internacionais, também chamados de instituições multilaterais, são entidades criadas pelas principais nações do mundo com o objetivo de trabalhar em comum para o pleno desenvolvimento das diferentes áreas da atividade humana: política, economia, saúde, segurança, etc.
Essas organizações podem ser definidas como uma sociedade entre Estados. Constituídas por meio de tratados ou acordos, têm a finalidade de incentivar a permanente cooperação entre seus membros, a fim de atingir seus objetivos comuns. Atuam segundo quatro orientações estratégicas:
  • Adotar normas comuns de comportamento político, social, etc. entre os países-membros;
  • Prever, planejar e concretizar ações em casos de urgência (solução de crises de âmbito nacional ou internacional, originadas de conflitos diversos, catástrofes, etc.);
  • Realizar pesquisa conjunta em áreas específicas;
  • Prestar serviços de cooperação econômica, cultural, médica, etc.
Abaixo, algumas das mais relevantes organizações internacionais:

ONU - Organização das Nações Unidas

Foi criada pelos países vencedores da Segunda Guerra Mundial e tem como principal objetivo manter a paz e a segurança internacionais. Proíbe o uso unilateral da força, prevendo contudo sua utilização - individual ou coletiva - para defender o interesse comum dos seus países-membros. Seu principal objetivo é manter a segurança internacional e pode intervir nos conflitos não só para restaurar a paz, mas também para prevenir possíveis enfrentamentos. Também incentiva as relações amistosas entre seus membros e a cooperação internacional.

UNESCO - Organização das Nações Unidas para educação, ciência e cultura

Foi criada em 1945 pela Conferência de Londres e tem como objetivo contribuir para a paz através da educação, da ciência e da cultura. Visa eliminar o analfabetismo e melhorar o ensino básico, além de promover publicações de livros e revistas, e realizar debates científicos. Desde 1960, atua também na preservação e restauração de espaços de valor cultural e histórico.

OCDE - Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico

É um fórum internacional que articula políticas públicas entre os países mais ricos do mundo. Fundada em 1961, substituiu a Organização Europeia para a Cooperação Econômica, criada em 1948, no quadro do Plano Marshall. Sua ação, além do terreno econômico, abrange a área das políticas sociais de educação, saúde, emprego e renda.

OMS - Organização Mundial da Saúde

É uma agência especializada em saúde, fundada em 7 de abril de 1948 e subordinada à ONU. Sua sede é em Genebra, na Suíça. Tem como objetivo principal o alcance do maior grau possível de saúde por todos os povos. Para tanto, elabora estudos sobre combate de epidemias, além de normas internacionais para produtos alimentícios e farmacêuticos. Também coordena questões sanitárias internacionais e tenta conseguir avanços nas áreas de nutrição, higiene, habitação, saneamento básico, etc.

OEA - Organização dos Estados Americanos

Criada em 1948, com sede em Washington (EUA), seus membros são as 35 nações independentes do continente americano. Seu objetivo é o de fortalecer a cooperação, garantir a paz e a segurança na América e promover a democracia.

OTAN - Organização do Tratado do Atlântico Norte

Foi criada em 1949, no quadro da Guerra Fria, como uma aliança militar das potências ocidentais em oposição aos países do bloco socialista. Formada inicialmente por EUA, Canadá, Bélgica, Dinamarca, França, Holanda, Islândia, Itália, Luxemburgo, Noruega, Portugal e Reino Unido, a OTAN recebeu a adesão da Grécia e da Turquia (1952), da Alemanha (1955) e da Espanha (1982).

BIRD - Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento

Com o objetivo de conceder empréstimos aos países membros, o BIRD, também conhecido como Banco Mundial, oferece financiamento e assistência técnica aos países menos avançados, a fim de promover seu crescimento econômico. É formado por 185 países-membros e iniciou suas atividades auxiliando na reconstrução da Europa e da Ásia após a Segunda Guerra Mundial.

FMI - Fundo Monetário Internacional

Criado para promover a estabilidade monetária e financeira no mundo, oferece empréstimos a juros baixos para países em dificuldades financeiras. Em troca, exige desses países que se comprometam na perseguição de metas macroeconômicas, como equilíbrio fiscal, reforma tributária, desregulamentação, privatização e concentração de gastos públicos em educação, saúde e infraestrutura.

OMC - Organização Mundial do Comércio

Trata das regras do comércio entre as nações. Seus membros negociam e formulam acordos que, depois, são ratificados pelos parlamentos de cada um dos países-membros. Tem como objetivo desenvolver a produção e o comércio de bens e serviços entre países-membros, além de aumentar o nível de qualidade de vida nesses mesmos países.

OIT - Organização Internacional do Trabalho

Tem representação paritária de governos dos seus 182 Estados-membros e de organizações de empregadores e de trabalhadores. Com sede em Genebra, Suíça, a OIT possui uma rede de escritórios em todos os continentes. Busca congregar seus membros em torno dos seguintes objetivos comuns: pleno emprego, proteção no ambiente de trabalho, remuneração digna, formação profissional, aumento do nível de vida, possibilidade de negociação coletiva de contratos de trabalho, etc. 


Fonte:http://educacao.uol.com.br/disciplinas/geografia/organizacoes-internacionais-conheca-as-principais-instituicoes-multilaterais.htm

terça-feira, 14 de abril de 2015

PAISAGEM




Paisagem

A paisagem representa a percepção sensorial humana sobre os aspectos do espaço geográfico.
O termo paisagem é um conceito polissêmico, ou seja, possui vários significados. Mesmo os geógrafos não chegaram a um consenso sobre o que ela seria exatamente. Para Vidal de La Blache, por exemplo, a paisagem constitui-se como uma expressão dos gêneros de vida, enquanto para Carl Sauer ela representa a generalização da consciência humana derivada da observação de cenas individuais.
De todo modo, atualmente, a definição mais aceita de paisagem é a de que ela é a representação de tudo aquilo que podemos captar com os nossos sentidos: visão, tato, olfato, paladar e audição. Ao lembrar a paisagem de um lugar que marcou nossa infância, por exemplo, não lembramos somente a aparência visual, mas também os cheiros, alguns sons, se era frio ou calor, além dos sabores que sentíamos, não é mesmo?
Por esse motivo, o conceito de paisagem passou, ao longo do tempo, a ser muito utilizado pela Geografia Cultural, pois ele passou a comportar-se como uma categoria diretamente vinculada à percepção, compreensão e ação do ser humano sobre o mundo.
Se a paisagem representa tudo o que o indivíduo percebe, ela torna-se inevitavelmente um conceito muito amplo, pois pode referir-se a qualquer parte da Terra ou até mesmo do próprio universo. Assim, para fins de organização didática, divide-se a paisagem em dois tipos: a natural e a humanizada.



A paisagem natural corresponde aos elementos naturais do espaço, ou seja, que não foram modificados pela ação humana ou que a ela não se relacionam diretamente. Podemos considerar como exemplos de paisagem natural o espaço de uma floresta, a área de um deserto ou até mesmo a área de um vulcão.




Erupção do vulcão Tungurahua, no Equador, em 2011. Um exemplo de paisagem natural
A paisagem humanizada representa todo os elementos do espaço produzidos ou transformados pelas atividades humanas. Também chamada de paisagem cultural, ela é a impressão das ações praticadas pelos homens sobre o meio, deixando marcas referentes aos aspectos econômicos, sociais, culturais, entre outros, com elementos atuais ou referentes às heranças históricas.


As paisagens humanizadas podem revelar aspectos da história do espaço social

Vale a ressalva de que uma paisagem natural não necessariamente exclui a presença de uma área artificial. Em incontáveis casos, as duas formas podem coabitar ao mesmo tempo, como em construções em que se preserva a vegetação original ou na área de um reserva natural que funciona como um parque de lazer. A paisagem é, pois, um importante instrumento de estudo e análise da sociedade, pois ela é reveladora não só dos aspectos do espaço em si, mas também da forma com que ele é percebido pela compreensão humana.

 Fonte: Disponível em:. Acesso em: 14 de abril de 2015.

segunda-feira, 13 de abril de 2015

ESTADO, NAÇÃO E TERRITÓRIO







Para a compreensão de alguns aspectos da relação entre países é de suma importância dominar os conceitos de Estado, Nação, Território e País. Somente a partir da percepção desses conceitos é que podem ficar claros as decisões tomadas por grandes líderes mundiais e ações referentes a política internacional.

ESTADO é a forma como a sociedade se organiza politicamente. É o conjunto das instituições governamentais que organizam e administram uma determinada sociedade.
No Brasil esta organização política está dividida em três poderes que funcionam regulados pela Constituição Federal. São eles: a) Executivo; b) Legislativo e; c) Judiciário.

A NAÇÃO é constituída por um “coletivo humano” com características comuns (idioma, tradições, costumes, religião ...) e ligados por laços históricos, étnicos  e culturais .

O TERRITÓRIO é a base física na qual um Estado exerce sua autoridade. Um território é delimitado por fronteiras políticas. O território de um país é formado pelo solo continental e insular (cercado de águas, como uma ilha), o subsolo, o espaço aéreo e o território marítimo.
Podemos definir PAÍS como um território politicamente delimitado por fronteiras com unidade político-administraiva (Estado), habitado por uma comunidade (nação)  com história própria. 
  
ATENÇÃO!
Normalmente, todo país tem um Estado constituído. Nessas condições o chamamos de ESTADO-NAÇÃO. Mas há situações onde uma Nação não possui um Território, sequer um Estado. É o caso dos judeus antes de 1949, dos curdos e dos tibetanos atualmente.
Além dessa circunstância, também é conhecido o caso onde um Estado-nação abrange vários países, como é o caso do Reino Unido (Inglaterra, Escócia, Irlanda do Norte e País de Gales).